O pato preto americano é encontrado em zonas húmidas rasas do leste da América do Norte. É um animal bastante arisco.

Eles frequentemente se reúnem com o pato real, o pato preto tem bastante semelhança com a fêmea do pato real.

Mas é possivel indentificar o pato preto americano em um grupo de patos marrons através das manchas escuros da cor castanho-chocolate, o rosto também é pálido e cinza e o bico amarelo-oliva.

Os números desse pato tímido, diminuíram drasticamente em meados do século XX. Restrições de caça ajudaram a estabilizar seus números, embora a perda de habitat continue sendo um problema.

Habitat

Os patos negros americanos se reproduzem principalmente em zonas úmidas de água doce em todo o nordeste da América do Norte, incluindo lagoas, riachos, lagos rasos, pântanos em florestas boreais e pântanos arborizados.

Em sua maioria, passam o inverno em zonas úmidas de água salgada, mas também em lagoas, madeira inundada, campos agrícolas e habitats ribeirinhos.

Muitas vezes, eles se refugiam da caça e de outros distúrbios, mudando-se para represas frescas e salgadas em terras de conservação.

Alimentação do pato preto americano

Pato preto americano (Anas rubripes)

Os patos negros americanos comem principalmente matéria vegetal, com insetos adicionados durante a época de reprodução.

Alimentos vegetais incluem sementes, raízes, tubérculos, caules e folhas de plantas que crescem em solo úmido e submerso.

Na época de reprodução adultos e patinhos comem uma dieta rica em alimentos de origem animal, incluindo insetos aquáticos (larvas de moscas, caddisflies, libélulas, moscas e besouros), crustáceos, moluscos e, por vezes, peixes.

O pato negro americano se alimenta individualmente ou com seus parceiros na época de nidificação, e sozinhos ou em pequenos grupos durante o resto do ano.

Em águas rasas, eles se alimentam como típicos “patinhos” submergindo suas cabeças, ou inclinando-se para alcançar comida submersa.

Em águas mais profundas, eles podem mergulhar mais de 12 metros de profundidade em busca de plantas e outros itens alimentares.

Na migração eles comem sementes, folhagens e plantas aquáticas, grãos agrícolas, sementes e frutos de plantas terrestres selvagens, invertebrados e, por vezes, peixes e anfíbios.

Aves invernais comem principalmente partes de plantas em habitats de água doce, adicionando alimentos como mexilhões, zooplâncton e pequenos peixes em habitats marinhos.

Reprodução do pato preto americano

Colocação do ninho

A fêmea seleciona um local bem escondido, geralmente no solo, em ilhas arborizadas ou gramadas, planaltos, pântanos, plantações cultivadas ou bordas de terras agrícolas.

Ela pode escolher um local em uma área arbustiva, uma pilha de arbustos, um fardo de feno, um pedaço de grama ou uma fenda de rocha.

Os ninhos às vezes estão em crotches ou cavidades de grandes árvores.

A fêmea constrói o ninho sozinha, cavando com os pés no solo para formar uma bacia de 7 a 8 polegadas de diâmetro e 1,5 cm de profundidade.

Enquanto põe ovos, ela acrescenta material vegetal coletado ao alcance do ninho, incluindo grama, galhos, folhas, caules e agulhas de coníferas.

No quarto ou no quinto ovo, ela começa a juntar as penas arrancadas de seu próprio corpo, até que o ninho esteja totalmente coberta no início da incubação.

Dados do ninho
Tamanho da ninhada:De 6 a 14 ovos
Número de ninhadas:1 ninhada
Comprimento do ovo:De 5,5 a 6,4 cm
Largura do ovo:De 4,1 a 4,5 cm
Período de incubação:23 a 33 dias
Descrição do ovo:Branco, cor creme ou lustre esverdeado pálido.
Condição em incubação:Bem desenvolvido e coberto.

Comportamento

Os patos pretos americanos são animais lentos e pesados, mas são excelentes nadadores, que mergulham para evitar predadores e às vezes para encontrar comida.

Os parceiros são monogâmicos em cada época de reprodução e os casais podem permanecer juntos nos anos seguintes.

Eles cortejam e formam fortes laços de par no outono e inverno antes de migrar para áreas de reprodução.

A viagem começa em fevereiro na parte sul do seu alcance, mas muitas vezes não até o final de maio na parte norte.

A fêmea incuba os ovos enquanto o macho defende o território. Os pares aninham-se perto um do outro de forma bastante pacífica, a menos que um macho ou par se intromete; então o macho territorial ameaça, persegue e luta contra os intrusos.

Na metade da incubação, o macho se torna menos atento e eventualmente abandona o ninho.

Os patinhos chocam tudo dentro de algumas horas, e, uma vez secas, a fêmea conduz a cria a áreas com muitos invertebrados e cobertura vegetal.

No início de setembro, após a muda, os patos adultos e novatos se juntam perto de áreas de reprodução e começam a migrar para o sul.

Conservação do pato preto americano

Os patos pretos americanos são comuns, mas a Pesquisa Norte-Americana de Criação de Aves registrou um declínio de cerca de 84% entre 1966 e 2014. Desde 2004, as quedas diminuíram.

Eles não estão na lista de observação do estado dos pássaros de 2014. A agricultura, a exploração madeireira e a urbanização nos habitats de reprodução e invernada desta espécie, tanto no interior como na costa, podem ter contribuído para a queda nos números.

Os caçadores de pato negro americano exploraram intensivamente eles por décadas, matando cerca de 800.000 por ano nas décadas de 1960 e 1970.

Em 1982, a Humane Society dos EUA prosseguiu um processo que levou a restrições rigorosas de caça no ano seguinte, ou seja, uma temporada de 30 dias com um limite de um pássaro por dia.

A colheita anual na década de 1990 foi estimada em 166.000 nos EUA, e hoje os registros indicam que esse número é de cerca de 115.000 por ano.

Os patos negros americanos são mais cautelosos do que muitas outras espécies de patos, como os patos-reais, e portanto menos tolerantes a distúrbios.

Patos-reais podem até ter contribuído para o declínio dos patos negros, já que eles prosperam sob condições urbanas e podem expulsar seus primos do habitat.

Como outros animais aquáticos, os o pato negro são sensíveis à poluição e escoamento que degradam a qualidade da água.

Em meados do século XX, o pesticida DDT contribuiu para o enfraquecimento da casca de ovo.

Os patos negros americanos também são vulneráveis ​​ao envenenamento por chumbo quando comem chumbo enquanto forrageando em zonas úmidas.

Conheça também:

Gostou de conhecer o falcão-americano? Acesse o canal Maiores do mundo no youtube e veja diversas curiosidades como essa.