O maior tsunami do mundo já registrado ocorreu na baía de Lituya, Alasca em 1958 depois de um terremoto de magnitude de 7,8 de intensidade máxima na escala de Mercalli.

O evento aconteceu na falha geológica que provocou um deslizamento de terra que movimentou cerca de 30 milhões de metros cúbicos de rocha e gelo para a entrada estreita da baía.

A onda atingiu com tal poder que varreu completamente o esporão de terra que separa Gilbert Inlet do corpo principal da Baía de Lituya.

A onda então continuou por toda a extensão da Baía de Lituya, passando por La Chaussee Spit e chegando ao Golfo do Alasca.

A força da onda removeu todas as árvores e vegetação de elevações tão altas quanto 524 metros acima do nível do mar.

Milhões de árvores foram arrancadas e varridas pela onda. Esta é a onda mais alta que já foi conhecida.

Por sorte esse desastre atingiu apenas uma área desabitada, destruindo apenas a vegetação local. Agora, magine se isso acontecer um dia em uma cidade grande, vai causar bastante destruição.

Foto aérea oblíqua: Baía de Lituya, Alasca

Lituya Bay algumas semanas após o tsunami de 1958. 
As áreas de florestas destruídas ao longo das margens são claramente reconhecíveis como as áreas claras que circundam a baía. 
Um barco de pesca ancorado na enseada na parte inferior esquerda foi transportado sobre o espeto em primeiro plano; 
um barco a caminho perto da entrada foi afundado; 
e um terceiro barco, ancorado perto do canto inferior direito, seguiu a onda. 
Foto por DJ Miller, United States Geological Survey.

Outros Tsunamis no local

Antes do tsunami de julho de 1958, Don J. Miller, do Serviço Geológico dos Estados Unidos, vinha estudando evidências da ocorrência de grandes vagas na baía de Lituya.

Ele documentou evidências de pelo menos quatro ondas grandes anteriores com datas estimadas de 1936, 1899, 1874 e 1853 (ou 1854).

 Todas essas ondas foram significativas em tamanho, mas a evidência da linha de costa para todas elas foi removida pela onda de 1958.

O Sr. Miller estava no Alasca quando a onda de julho de 1958 ocorreu e voou para a Baía de Lituya no dia seguinte.

Ele tirou as fotografias mostradas acima em julho e agosto e documentou as ondas mais antigas no estudo Geological Survey Professional Paper 354-C dos Estados Unidos, Giant Waves, na Baía de Lituya, Alasca, 1960.

Com uma história tão grande de ondas grandes, a baía de Lituya deve ser considerada como um perigoso corpo de água propenso a algumas ondas grandes a cada século. Quando o próximo ocorrerá?

Conheça também o maior terremoto do mundo já registrado.

Gostou de conhecer a história do maior Tsunami do mundo? Acesse o canal Maiores do Mundo no youtube, lá tem vídeos bem legais para você.

Fonte: geology.com